Em crise


Faltava pouco menos de uma semana para o casamento. Ela finalmente podia sentar e relaxar, curtir a última semana de noiva, mudar a aliança de mão enquanto estava em casa para não “estranhar” muito após o casamento. Havia emagrecido os quilos desejados e o vestido estava perfeito. Tudo estava pronto.

Ele entra abrupto pela porta e encontra-a na sala. Se joga no sofá. A expressão é de um cansaço extremo, de desilusão, o ar pesado denúncia que as coisas não estão bem. Por duas vezes abre a boca para falar, mas desiste.

Ela imparcial não sabe se chega mais perto ou se espera, mas mantém os olhos nele. Aquele ar cansado que tantas vezes ela já viu. O cabelo bagunçado, a barba por fazer, a blusa já pra fora da calça. Provavelmente dentro do elevador ele já deu início ao ato de se desarrumar. “Gravata só serve para sufocar”, sempre dizia, dia sim, dia não, antes de sair. Tanto que haviam optado por um casamento informal e ela dera a ele a liberdade de não usar gravata no dia.

Ele levantou e passou a andar de um lado pro outro. Ela se manteve sentada. Não sabia se falava algo ou se pelo peso da situação dava já início a choradeira.

“Se eu disser… Prometa não rir”. “Se vai me fazer rir, talvez não seja tão sério”, pensou. Pôs-se ao lado dele. Fez um esforço para ultrapassar todos os pensamentos negativos. “Tudo bem, não vou. Diz.”

“Como é que eu vou entrar na igreja com esse monte de cabelo branco pipocando na minha cabeça?”

Ela prometeu, mas não cumpriu. Ele era mesmo perfeito. O homem que entra em crise com sua aparência na véspera do casamento. E ela acreditou que eram essas pequenas coisas que provavam o amor.

Comments

comments

9 Comment

  1. Bruno Scopel says:

    Você não sabe como são impactantes pro homem cabelos brancos. Eu não tenho nenhum, são fios loiros.

    .
    .
    .

    e você bem morre de rir demim sempre =( eahiohioeahiea
    =*************************

    te amo demais amor, texto muito legal x)
    mas vem logo!

  2. Marcelo Grillo says:

    Larissa, quero conversar com vc sobre esse texto, mas não tenho seu telefone. Ele é seu? Abs

    1. Todos os textos publicados aqui no blog são meus sim =)

  3. UAHSUAHUSHAHSUAHUSHAUH…
    Muito bom Lari, realmente cabelos brancos dão muito medo!
    Mas o que um Viena Hair não resolve né não?!
    auhsuahsuahusaus
    Muito bom mocinha!
    Bjão 🙂

  4. Muito engraçado! Já passei por isso… nossa, antes do casamento cheguei a brigar com meu marido, achando que não ia rolar, de tanto nervosismo. E saber que uma convenção social dá tanto stress na cabeça das pessoas envolvidas. Passado o fatídico dia, é só curtição.

    Bacana, gostei demais!

    Beijo 🙂

  5. Então, você já começou a fazer o rascunho do seu livro? Cada vez que venho ler tenho ainda mais certeza de que isso é IMPRESCINDÍVEL!

    Tão suave, uma rotina tão encantada que você descreve, como sempre!

    Amo você! Sempre!

  6. Concordo com a Fernanda, já estou planejando o lançamento do livro…coisas de mãe coruja, ou não, afinal seus textos são sempre lindos.

  7. confesso q não esperava esse final! Muito bom!!!

  8. Oi. Juroque acreditei que era o fim dos ranalhetes. E nem era. Agora, esse noivo é meio estranho, ou entãocontinua me escondendo alguma coisa. rs

Comentários fechados.