Filmes #03 – 50 Tons de Cinza

50 Tons de Cinza

Sinopse:

Anastasia Steele (Dakota Johnson) é uma estudante de literatura de 21 anos, recatada e virgem. Uma dia ela deve entrevistar para o jornal da faculdade o poderoso magnata Christian Grey (Jamie Dornan). Nasce uma complexa relação entre ambos: com a descoberta amorosa e sexual, Anastasia conhece os prazeres do sadomasoquismo, tornando-se o objeto de submissão do sádico Grey.

O que eu achei:

M-E-U-D-E-U-S

Nada nesse mundo poderia me preparar para o que eu vi aqui.

Devo dizer que sim: eu li os livros. E eu nunca consegui explicar exatamente se gostei ou não deles. Ter estômago para ler esses 3 livros (consideravelmente grandinhos) talvez seja um indicativo, mas eu acho que li mais porque a história era tão bizarra e improvável que eu fiquei meio que aficionada em descobrir como iria terminar (quem nunca?). Acabou sendo totalmente previsível e eu não sei porquê as pessoas focaram TANTO no sadismo e não no machismo escroto de Christian Grey, mas ok.. vamos ao filme.

S-E-N-H-O-R que filme horrível. Acho que minha cara durante todo o filme foi de descrença. Eu não podia acreditar que haviam feito tanto estardalhaço pra no fim entregar um filme tão porco, mal editado, com tantos cortes toscos. Aí vem aquela desculpa de: tiveram que refilmar algumas cenas porque tinha muita nudez HAHAHAHAHAHA Se foi isso, devem ter só cortado a nudez e remendado o resto.

Mesmo depois de assistir eu fiquei tentando me convencer de que eu tinha pego alguma versão asiática censurada da internet e por isso os cortes, mas uma colega que viu o filme no cinema disse que é assim mesmo. Que a música tem corte seco do nada, que uma hora tá no início e aí já corta pro refrão, um pesadelo! Uma pena porque eu amo Beyoncé e pelo que tínhamos escutado a trilha do filme estava maravilhosa. Aliás, deixa eu dizer aqui que quando filme começou com Annie Lennox cantando “I Put a Spell On You” eu achei que o filme seria bom, mas foi só isso mesmo.

50 Tons de Cinza

E se as críticas no início eram pra Dakota Johnson que interpretou Anastasia tenho que dizer que: erraram feio, erraram rude. Porquê pra mim, ela foi a mais bem interpretada aqui. Bobinha, extremamente inocente e influenciável, acho que a atriz cumpriu bem o papel. Agora Christian Grey: =C

Tadinho do Jamie Dornam, ele é bonito sim! Mas conseguiu ser mais sensual fazendo papel de caçador/delegado em Once Upon a Time. Tinha umas carinhas que ele fazia que me fizeram dar gargalhada pra tela. E os diálogos? Apenas triste, muito triste.

Eu também não entendi como um filme pode ter 2 horas de duração e abordar tão superficialmente o livro. Cortar tantas partes (e eu nem tô falando de sexo! que é mínimo no filme) não explicando praticamente nada de nada e no fim você fica tipo: opa volta aqui meu querido, me dá mais informação, faltou contar coisa aí!!

Se foi uma tentativa de instigar a gente a assistir o segundo filme (haverá?), acho que falhou miseravelmente. Eu sei que termina exatamente como o livro, mas gente, não sei mais o que dizer.

Aliás sei sim, senta aqui. Se o motivo de você odiar a trilogia é o fato de que a mulher é “comprada” com presentes caros, apenas pare. Anastácia pode ser muitas coisas, mas não interesseira, ela reluta constantemente em aceitar os presentes, mas é completamente envolvida e dominada pelo machismo do cara (Alerta relacionamentos abusivos). Se o filme não deixa isso claro, o livro deixa, mas não vou te forçar a ler quantas vezes Ana “ruboriza” ou ter que lidar com sua “deusa interiorzzzzzzzz”.

50 Tons de Cinza

Quer falar mal do livro? Fala que é mal escrito, fala do cara que é abusivo, fala da Ana que se humilha pra ter um cadinho de amor. Aí tudo bem =)

Enfim, ainda não consigo aceitar que diretor, roteirista, editores (e coitado dos atores) tiveram coragem de entregar um filme desses. Como disse Jout Jout (vocês conhecem ela? Já amo). Foi tão bizarro, que virou uma experiência maravilhosa. hahahahaha

Para não dizer que não falei de flores, vamos ouvir Annie Lennox mais uma vez:

Comments

comments