Nada de sono…

Quando as coisas não vão bem, sentar e acabar com tudo pode parecer o mais certo.  Dessa forma, toda dor é única e de uma só vez, você não passa dias se lamentando pensando no que pode haver de tão errado, você aceita que há algo errado e pronto.

Acontece que você, ainda com o rosto vermelho e o lençol encharcado, liga dizendo que ama mais que tudo e que nem quando passou aqueles seis meses em intercâmbio sentiu tantas saudades como nessas últimas 24 horas. A certeza do “acabou” reacende qualquer coisa, mesmo que seja uma faísca de puro costume, nessas horas o que antes era comodismo torna-se uma paixão incontrolável.

Você ainda sofre dias e dias pensando no que pode haver de errado, ainda acha que é mais fácil encontrar a solução a dois, mesmo que isso te renda incontáveis brigas, mesmo acreditando que nunca irão chegar a um acordo.

Com Ana não era muito diferente.

Ela não entendia muito bem tudo o que estava acontecendo.

Felicidade para ela era algo muito simples, mas por aqueles dias era extremamente difícil dizer-se feliz.

Já passava da meia-noite e nada de sono, nem bocejo. Esteve com o telefone na mão duas ou três vezes, ia ligar pra ele. Melhor não. Não sabia ao certo o que dizer, nem sabia se tinha mesmo algo a dizer. As conversas, já raras, eram vazias, nada que lhe acrescentasse mais do que um sorriso falso. O beijo, a o beijo era bom, era bom pelo gosto, pelo toque e também pelo fato de não haver necessidade de se dizer nada.

Era bem feliz no começo.  Hoje não mais. 7 anos. Vai ver é o tempo o culpado por ter deixado eles assim. Bom talvez não. Certeza era o que menos tinha nesses dias.

Quase 2 da madrugada. Nada de sono, nem bocejo. Ligar pra ele nem pensar, a essa hora?? Onde já se viu…

Mudar? Sim ela tinha mudado bastante. Quem é que nesse mundo consegue viver sem mudar? Acontece que ele não estava preparado pra toda essa mudança, nem ela. Agora ela estava ali, acordada pensando em como não mudar. Não mudar mais pra voltar a ser feliz.

Melhor dormir, mas nada de sono, nem bocejo.

Comments

comments

5 Comment

  1. Hum, bela história. Isso me faz crer cada vez mais na sua capacidade de crônicas. Sua sutileza de capturar os sentimentos mais incapturáveis é perfeita!

    Um beijo

  2. Concordo loucamente com a moça Fernanda. Você tem uma capacidade incrível para crônicas, para transformar palavras em sentimentos em momentos e em fotografia na minha cabeça.
    Adoro Adoro Adoro!

    Beijos

  3. Muito bom o estilo, proposta e desenvolvimento textual do seu espaço aqui! gostei, vou linkar ao meu e seguirei, parabens!

  4. Léris, amei (como sempre!).
    Passar por aqui virou meu vício. Escreva mais. Fico anciosa esperando novas histórias.
    Beijos da Juldis.

Comentários fechados.