O que aprendi ficando 1 ano sem comprar livros

wp-image-850092270jpg.jpg

O que parecia impossível, aconteceu: passei um ano inteiro sem comprar livros! (Ganhei uns 2, ou 3 de presente e só). Quando eu comecei essa “promessa” no final de 2015 achei, sinceramente, que não iria conseguir. Eu tinha uma verdadeira compulsão por comprar livros, nada justificava. Você pode entender isso aqui: #DontBuybooks

Listo aqui rapidamente 5 coisas que aprendi neste meu ano “sem livros”

1 – Não, você não precisa desse lançamento, pelo menos não agora.

2
masoq?

Eu vivia naquela constante sensação de “preciso desse livro que acabaram de lançar”, quando na verdade, ele ia parar na minha estante e por lá ficava. Nada contra quem gosta de comprar os lançamentos e tal, é claro, mas pra mim não funcionava. Eu não dava conta de ler tudo o que comprava, e ainda não dou, visto que, mesmo estando a 1 ano sem comprar livros, o número de títulos não lidos na minha estante continua considerável.

2 – Meu ritmo de leitura caiu drasticamente neste ano.

Talvez o desespero de ter muitos livros novos na estante me incentiva-se a ler mais, ou foi só um ano ruim para minha meta de leitura mesmo, a verdade é que li pouco durante o ano inteiro, e fiquei muito agarrada em alguns livros. O que também pode ser justificado pelo fato de que eu tinha muitos livros que nem queria ler de fato, mas que comprei no impulso e vamos fazer o que, né? Tem que ler esse kiridinho aqui.

3 – Eu revi minhas prioridades e meus gostos literários.

Tem livros que eu leio com muita facilidade e muito rápido, mas eles não estão nem perto de serem os meus favoritos. No fim, gosto deles por serem rápidos e não pela história que contaram. Enquanto alguns livros que são mais densos, e nos quais fiquei presa por mais tempo, acabam se mostrando surpreendentes e muito bons no fim. Então, estou me inclinando para ler em 2017 mais clássicos que ainda não li, do que os lançamentos sobre os quais todo mundo comenta.

4 – Ter uma estante cheia de livros não é tudo isso.

Meu sonho era ter uma estante cheia de livros, muitos livros, muitas estantes, mas agora eu fico pensando: pra que? Eu mal tenho tempo de ler os livros novos que estão lá, porque ficar guardando livros que eu nem sei se terei a oportunidade de ler de novo? É claro que partir desse pensamento para um REAL desapego não é tão simples (rs), então eu ainda tenho minha estante e meus livros, mas acho que logo vou conseguir abrir mão de alguns títulos.

5 – Não tenho mais “necessidade” de livros novos.

1

Acho que passei por uma desintoxicação. Antes eu entrava numa livraria e tremia inteira (rs), mas agora passou. Eu olho dezenas de livros e não sinto mais aquela aflição de querer/precisar levar algum pra casa. Tanto que não tenho nenhuma pretenção de comprar livros tão cedo. Como não consegui cumprir uma das metas que era reduzir drasticamente o número de livros não lidos da minha estante, sigo no desafio de tentar não comprar livros só por comprar.

🙂

Passar por esse ano foi muito importante pra mim, me deixou mais centrada e me aproximou mais de algo que eu amo: ler. Antes parecia que era só um consumo desenfreado, eu li muitas coisas que nem me cativaram tanto assim, só por ler, só porque todo mundo estava lendo e eu precisava resenhar para o blog (?!?!), e sinceramente, não sou esse tipo de pessoa. É claro que, como rebarba dessa fase, algumas desses resenhas ainda vão aparecer por aqui.

Sei que estou atrasada e bem desleixada com o blog, mas volto logo com minha lista de meta de leitura para 2017.

Que 2017 seja um ano de livros “melhores” e com mais fôlego para leitura. E que seja assim pra você também, leia mais do que você gosta e menos por demanda “popular”, ler deveria ser uma escolha mais pessoal.

Muitos livros para nós em 2017, se forem emprestados então, bem melhor!

Comments

comments