Resenha – 1Q84 [Livro 1] (Haruki Murakami)

Resenha 1Q84 [Livro 1] (Haruki Murakami)
Resenha 1Q84 [Livro 1] (Haruki Murakami)

 

Quando eu peguei “1Q84” (lê-se “um ‘quê’ oitenta e quatro”) para ler, eu não fazia ideia de quem era Haruki Murakami, por isso não sabia o que esperar da história.

Breve contexto: Murakami é um dos mais populares escritores japoneses, descrito por muitos como um paradoxo ambulante e com uma capacidade única de misturar o cotidiano e o fantástico, a um romantismo incurável.

Bom, e é isso mesmo que encontramos em “1Q84 – Livro 1” (trate-se de uma trilogia). Murakami vai revezando um capítulo e outro entre os seus dois personagens principais: Aomame, uma assassina de aluguel, e Tengo, um professor de matemática aspirante a escritor.

A história começa com Aomame presa em um congestionamento. Depois de uma conversa curiosa com o taxista, ela decide descer e seguir a pé por uma rota suspeita. No decorrer desse caminho, Aomane se sente como se transportada para uma segunda dimensão. As notícias nos jornais não se parecem em nada com o que ela havia lido nos últimos dias, há também o fato dos guardas estarem com novos uniformes e ao questionar isso, é informada de que a mudança ocorreu há alguns meses. Ela chega à conclusão de que algo não está em seu funcionamento normal, mas não consegue identificar se é apenas com ela ou o com mundo. Alerta aos pequenos detalhes que possam trazer algum tipo de revelação, Aomane decide que, definitivamente, aquele não é o ano de 1984, e por falta de uma explicação melhor decide apelidá-lo de 1Q84.

Tengo tem alguns pontos em comum com Aomame, os dois têm quase 30 e tem como traço marcante da personalidade a preferência pela solidão. Aspirante a escritor, Tengo tem domínio da técnica, mas nenhuma inspiração ou ideia brilhante que o impulsiona a escrever um grande romance. Sua vida sofre uma pequena reviravolta quando um conhecido o convida para reescrever um romance: “A Crisálida de Ar”, o intuito é melhorar a escrita primaria da autora e inscrever a obra em concursos literários.

“A Crisálida de Ar” foi escrita pela jovem e disléxica, Fukaeri e fala sobre uma reclusa comunidade e um “Povo Pequenino”. Uma história sinistra e repleta de mistérios que acaba se tornando contexto de “1Q84”, quando, com o decorrer dos capítulos, se revela verídica.

O livro é maravilhosamente bem escrito, tão claro e objetivo que fica praticamente impossível não amar. É o tipo de história que te deixa ligado 100% do tempo no que está acontecendo, vibrando a cada nova revelação, a cada novo “ponto ligado”, aguardando ansiosamente o que pode vir à acontecer, é como se ele todo fosse o clímax.

Em uma mistura de mundos paralelos, assassinatos e estranhas seitas religiosas, Murakami reúne diversas referências pops e uma impressionante capacidade de surpreender a cada novo capítulo. Eu diria facilmente que “1Q84” foi um dos melhores livros que li em 2013.

A trilogia já foi toda publicada no Brasil pela editora Alfaguara e eu espero, sinceramente, conseguir terminar essa história incrível o quanto antes.

 

….

Onde comprar:

Saraiva
Submarino
Livraria Cultura
Estante Virtual 

 

FacebookBlog

O Literatura Pessoal também está no Facebook!
Curta a página do blog para receber as atualizações e
ver todas as novidades.

www.facebook.com/literaturapessoal

Comments

comments

2 Comment

  1. […] não conhece a trilogia 1Q84 de Haruki Murakami, meus amores, sei nem o que dizer pra vocês, só clica aqui e lê o que eu achei do primeiro livro e corre pra ler essa história […]

  2. […] aqui o que eu achei de 1Q84 (Livro 1) e (Livro […]

Comentários fechados.