Resenha – A Lenda de Ruff Ghanor, o garoto-cabra

A lenda Ruff Ghanor, o garoto-cabra

Sinopse:

Nos confins de uma terra inclemente, assolada por monstros e governada pelo terrível dragão Zamir, ergue-se o mosteiro de São Arnaldo. Os clérigos tentam viver em paz, sob o jugo do tirano, quando encontram um estranho garoto. Uma criança selvagem, dotada de poderes misteriosos, que luta como um adulto. Seu nome é como um rugido: Ruff Ghanor.


O que eu achei:

Ganhei esse livro de aniversário do meu marido em meio a um discurso de: Todo mundo tá dizendo que esse livro é muito legal, mas como eu não curto ler resolvi comprar pra você. Depois você me conta tudo 😀

Para me deixar mais por dentro da história (e talvez mais interessada) ele me disse que se tratava de uma história “criada” durante uma partida de RPG, e gente, na sinceridade aqui: nunca entendi RPG. Perdão, porém é verdade.

Enrolei um pouco pra começar a leitura, mas ele ficava me cobrando e achei triste largar o livro esquecido na estante, então não tive mais como ignorar.

Comecei o livro meio (BEM) descrente, mas é preciso admitir que a escrita do Leonel Caldela é incrível. Nas primeiras páginas eu já ficava: meu deus como escreve bem! Eu não conhecia nenhum outro livro dele então esse foi meu primeiro e positivo contato, isso é claro, me deu um novo ânimo para prosseguir a leitura. O que aconteceu a seguir é que eu devorei o livro em poucos dias e quando terminou na minha cabeça (e acho que na do Ruff também) só ecoava aquele “noooooooooooooo” like Darth Vader.

Mas não vamos correr tanto. Primeiro uma confissão embaraçosa:

Logo no começo um pequeno detalhe que me fez dar muita risada e ficar bem envergonhada. Fiz um pouco de confusão ao acreditar que Ruff Ghanor, o garoto-cabra era tipo um fauno HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

Ruff na minha cabeça:

Sr. Tumnus -  de As CrônicasNárnia

Sério, eu continuava virando as páginas esperando que a qualquer momento alguém ia dizer que Ruff  era, literalmente, metade menino e metade cabra. Não tenho nem como começar a pedir desculpas por isso.

Mas vencida essa ideia totalmente errada, pude aproveitar o livro e aceitar que ele é “apenas” (rs) um garoto especial que foi encontrado em uma montanha por dois acólitos, os  irmãos Dunnius e Niccolas. “Adotado” pelos clérigos e vivendo agora no Mosteiro de São Arnaldo, ele pode entender melhor sua força, magia e história.

O Mosteiro e a vila em seu entorno (na verdade toda a terra/continente…), sofrem com a tirania de Zamir, o dragão vermelho que envia hobgoblins selvagens para recolher os impostos nas cidades, evento que é sempre marcado por muita violência e humilhação, quando homens e mulheres são tirados de suas famílias para serem usados como escravos e nunca mais são vistos.

Sob a tutela de um rigoroso Prior, com apoio do amigo Korin e com o amor de Áxia, Ruff é treinado desde criança para vencer Zamir.

As descrições de batalhas são muito boas, dá certa apreensão, rola aquela incerteza de “será que vai dar certo?”. Talvez por ter zero de conhecimento prévio eu fiquei mesmo preocupada com quais personagens o autor estava disposto a sacrificar.

Achei esse livro muito fantástico, mesmo. Se te preocupa o fato de não conhecer o RPG de onde surgiu o Ruff Ghanor e sua história, pode ficar tranquilo! Você vai conseguir se envolver e entender tudo o que está acontecendo.

Sobre os personagens, achei eles bem construídos, sem muita enrolação, objetivos e funcionais e com histórias individuais muito boas. Me apeguei ao Korin e tive um cadico de raiva de Áxia (com razão) e, quando não estava “ain vou fugir com a Áxia”, o Ruff estava bem 100% legal. hahahaha Não sei, essa coisa de que é preciso haver um romance e tal, só acho que aproveitei mais as outras partes do livro. Pode ser que o romance deles nesse primeiro volume se torne gatilho para algo maior nos próximos livros (soube que será uma trilogia), não sei.

Nesse primeiro volume acompanhamos mais ou menos os primeiros 20 anos do Ruff, apesar de ter lido rápido é um livro denso, cheio de conteúdo interessante.

Uma história de aventura, amizade, traição e com um final incrível. Sério, incrível! O que foi o final desse livro?! Ficou aquela sensação de “o que eu faço da minha vida agora?”.

Para quem não queria nem começar a leitura fiquei foi muito de coração partido ao descobrir que o próximo livro ainda não foi publicado.

Deu até uma vontadezinha de entender melhor RPG e ouvir os podcasts que falam um pouquinho mais sobre Ruff Ghanor 😉

 

Nota: 5/5

Skoob
Nerdstore

Comments

comments

6 Comment

  1. brunoscopel says:

    Aeeeeee o/

    Enviei um e-mail para o site do Jovem Nerd sobre a resenha, vai que leem? =D

  2. O livro dois será provavelmente publicado no final desse ano, assim como o primeiro foi publicado no fim do ano passado.
    Ps I. Recomendo fortemente que ouça o quanto antes a Trilogia especial de RPG medieval do NerdCast. são precisamente os episódios: 251(O Bruxo, A Princesa e o Dragão), 291(O Duque, A Rosa e O Beholder) e 341(O Corvo, A Periguete e O Bucentauro). No total dá cerca de 7 horas de programa( mas passa como se fossem minutos ,rsrs).
    Ps II,Obviamente os episódios devem ser ouvidos na sequencia cronológica.

    http://jovemnerd.com.br/nerdcast/nerdcast-251-especial-rpg-o-bruxo-a-princesa-e-o-dragao/

    http://jovemnerd.com.br/nerdcast/nerdcast-291-especial-rpg-o-duque-a-rosa-e-o-beholder/

    http://jovemnerd.com.br/nerdcast/nerdcast-341-especial-rpg-o-corvo-a-periguete-e-o-bucentauro/

    1. Opa, valeu Matheus! Com os links na mão assim fica muito mais fácil!
      Vou baixar para ouvir.
      Outro dia vi que o Jovem Nerd postou uma prévia do livro, deve ser tipo uma primeira impressão para aprovação. O jeito é torcer pro tempo passar e a gente não sofrer tanto ☺

  3. Ps III. Esse é um bom episódio para entender um pouco do que é RPG: http://jovemnerd.com.br/nerdcast/nerdcast-155-rpg-dd-e-as-regras-da-casa/

  4. Voltando de novo. Uma curiosidade: o Livro começou a ser escrito da tal ultima frase que é o plot twist do mesmo.
    E mais um episódio para ouvir, nesse falam sobre o processo de desenvolvimento do livro, tem cenas audio-dramatizadas (com direito às vozes de Guilherme Briggs e Sérgio Cantú, só para citar dois) dentre outras coisas.

  5. […] conheci Ruff Ghanor (para ler a resenha do primeiro livro, clique aqui), eu não esperava que tanta coisa pudesse acontecer no decorrer das suas […]

Comentários fechados.