Resenha – As Vantagens de Ser Invisível

Capa-Livro-vs-Filme-As-Vantagens-de-Ser-InvisivelQuando eu peguei “As Vantagens de Ser Invisível” pra ler, eu fui motivada por diversas pessoas que diziam que o livro de Chbosky era um dos poucos que não retratavam adolescentes de forma caricata.

Já passei faz algum tempo da adolescência, mas acabei me identificando, não com um personagem específico, mas reconhecendo um pouquinho de cada, relembrando algumas histórias. Depois (sempre tem um depois) eu tive a grata surpresa de assistir ao filme que tem a participação de Emma Watson, eterna Hermione (Harry Potter) e do incrível Ezra Miller, o sombrio Kevin, de “Precisamos falar sobre Kevin”. Aliás, precisamos falar sobre Kevin num próximo texto.

Stephen Chbosky soube discutir através de Charlie, um adolescente de 15 anos, drogas, sexo, sociabilidade, transtornos psiquiátricos, abuso, relacionamento familiar, ambiente escolar, enfim, tudo o que envolve o universo dos mais variados tipos de adolescentes.

O livro é todo escrito em formato de cartas, que Charlie envia a um amigo desconhecido. Charlie é viciado em leitura e desenvolve uma amizade com o seu professor de inglês que o incentiva ao hábito, ajudando-o a desenvolver sua escrita. Aqui fica marcado um ponto sensacional do livro: Chbosky usa esse artifício também na forma como escreve o livro. Se no começo o texto parece meio solto e hesitante, no decorrer da história a escrita de Charlie vai melhorando, ele passa a organizar melhor as ideias e narrar de forma mais clara os acontecimentos.

Sobre o personagem: Charlie é um adolescente dos anos noventa que sofre pelo suicídio do melhor (e único amigo) e a morte de sua tia quando era criança. Ao entrar no ensino médio ele decide que não pode mais viver isolado e tenta se aproximar dos outros meninos e meninas da sua idade. No entanto, Charlie é extremamente tímido e não sabe muito bem como se inserir em novos grupos.

Por fim, eu acabei me sentindo o amigo desconhecido de Charlie, a quem ele confidenciava tudo, mas eu sem um endereço, só podia ler e ler sem nunca dar a minha opinião. Apesar de ter gostado do livro, não sei bem a quem indicá-lo. Definitivamente é um livro para adolescente, mas sem os personagens vampiros ou bruxos. Apenas um menino, com alguns sérios problemas.

Trailer do filme:

Onde Comprar:

Saraiva – Livro e Ebook
Livraria Cultura – Livro e Ebook
Estante Virtual
Amazon.com.br

 

FacebookBlog

O Literatura Pessoal também está no Facebook!
Curta a página do blog para receber as atualizações e
ver todas as novidades.

www.facebook.com/literaturapessoal

Comments

comments

10 Comment

  1. Lauryn Vaz says:

    Oi eu adorei o teu resumo eu já li o livro só que não consegui fazer um resumo pra esse livro eu posso pegar o resumo e por no meu blog? é claro que vou dar todos os créditos para você e seu blog

    1. Ei Lauryn ,
      Pode sim! Deixa o link do seu blog aqui pra eu dar uma olhada nele depois.

      Bjo

      1. Larissa, eu estou conversando com a minha coordenadora para comprar esse livro para trabalharmos em sala de aula, será que os adolescentes(13 a 16 anos) irão gostar?
        Eu pretendo ler ele nas férias para poder ter maiores informações e conversarmos (quase) de igual para igual, e não queria pegar os livros de bruxos, lobos e vampiros que eles tanto vêem. è um contraponto que vou fazer com o livro Til, de José de Alencar, e gostaria que o livro fosse prazeroso.
        Gostei da resenha.
        Malu

        1. Ei Malu, acho que é válido sim, e acredito que eles vão gostar. Aliás tem o filme que é com a atriz que fez Harry Potter =) mas é a história de adolescentes reais, lidando com as dificuldades do dia a dia.

          1. Que bom que tem o filme, mas eu quero fazer com o livro mesmo (depois quem sabe vermos o filme), é que está ficando difícil fazer adolescentes gostarem de ler, e estou sempre buscando opções agradáveis para incentivá-los. Gostei de sua informação.
            Malu

  2. cara, adorei tua resenha!
    mas me diz uma coisa que não entendi, ele gostava da tia helen?

    1. Ei Vic,
      Bom pelo que eu entendi (e me lembro – já faz um tempo que li o livro) o trauma afetou as lembranças dele. Então ele lembrava da tia como a pessoa que esteve mais próxima a ele durante muitos anos, ou seja: era uma pessoa muito carinhosa que estava sempre presente quando a família se ausentava. Quando ela morreu ele obviamente sentiu.

      Depois, adolescente é que ele começou a entender o que realmente acontecia entre ele e ela.

  3. Gabriela Zucoloto says:

    Lari, sempre vejo umas frases soltas desse livro por aí, mas não li até hoje por pré-conceito também, rs. Mas agora sua resenha me animou!

    1. Ei Gabi, é um livro “bobinho”, mas é bacana. Eu li pq queria muito ver o filme (que também vale a pena). =)

  4. Minha experiência com esse livro foi bem interessante, porque no início da leitura eu pensava que não iria me surpreender com a vida de Charlie, o achava muito monótono. Depois percebi que não era uma característica aleatória da personagem. O discurso de Sam quando ela está fazendo as malas descreveu todo o meu pensamento acerca de Charlie.

    Também fiz uma resenha no meu blog, se você puder dar uma conferida depois. 😉

    http://alguns-discursos.blogspot.com.br/2014/05/book-2-movie-as-vantagens-de-ser.html

Comentários fechados.