Resenha – Extraordinário

extraordinario2

Desde que eu vi esse vídeo produzido para apresentar o livro fiquei realmente animada para a leitura, eu só não imaginava que o livro faria tanto jus ao nome.

August (Auggie) Pullman é um menino de 10 anos que está prestes a começar o 5º ano. Entre ele e as outras crianças só existem 2 diferenças: #1 Esta é a primeira vez que Auggie irá frequentar uma escola; #2 Ele nasceu com uma combinação genética que ocasionou uma deformidade facial que nenhuma das 27 cirurgias conseguiu melhorar.

O livro narra 1 ano da vida de Auggie. Ao todo são 6 narradores diferentes, a começar pelo August que conta como é ser ele. O que mais me impressionou no Auggie foi que, apesar de magoado com algumas atitudes, ele sempre se mostrava muito compreensivo. É claro que existiram situações muito difíceis que quase o fizeram desistir, mas ele sempre voltava com frases do tipo “eu sei que muitas crianças não querem ser malvadas, mas elas acabam sendo e por mim, tudo bem” e “a única razão de eu não ser comum é que ninguém além de mim me enxerga dessa forma”.

Os outros narradores são os amigos de Auggie: Jack e Summer, a irmã Olivia, Justin o namorada da irmã e Miranda amiga da irmã. Todos falam um pouco sobre como é a vida de Auggie e a sua própria vida e como eles se sentem em relação a ele. Dessas narrações gostei especialmente de duas falas que me marcaram profundamente. A primeira é a da mãe do August quando ela diz:

— Sempre haverá idiotas no mundo, Auggie — falou, olhando para mim. — Mas seu pai e eu acreditamos, de verdade, que há mais pessoas boas que más na Terra, e que as pessoas boas olham umas pelas outras, cuidam umas das outras. […]

E a outro é do Justin (namorado da irmã) :

“Não, não é tudo um acaso. Se fosse, o universo nos abandonaria à própria sorte. E o universo não faz isso. Ele cuida das suas criações mais frágeis de formas que não vemos. Como com pais que amam cegamente e uma irmã mais velha que se sente culpada por ser humana em relação a você. E um garotinho de voz grave que perdeu todos os amigos por sua causa” […]

A narrativa mais emocionante (tirando a do Auggie) pra mim é a da Olivia (irmã do Auggie), que realmente me levou as lágrimas, me fazendo ver um “outro lado” da história, e ainda assim de forma tão sensível e humana, que desarma. Auggie também tem muitos momentos que me fizeram chorar e outros que me animaram com seu sempre bom humor, a forma divertida que encontrou de lidar com as dificuldades e fazer com que os outros aceitem quem ele é: um menino normal.

R. J. Palacio não escreveu apenas um livro sobre bullying, é uma lição pra qual nunca se está velho demais. A linguagem do livro é tão simples, que ele pode ser indicado para crianças sem o menor problema, aliás acho mesmo que ele foi narrado por crianças, para ser lido – principalmente – por crianças.

“Toda pessoa deveria ser aplaudida de pé pelo menos uma vez na vida, porque todos nós vencemos o mundo”

(August Pullman)

Onde Comprar:

Submarino
Saraiva – Livro e Ebook
Livraria Cultura – Livro e Ebook
Amazon.com.br

 

FacebookBlog

O Literatura Pessoal também está no Facebook!
Curta a página do blog para receber as atualizações e
ver todas as novidades.

www.facebook.com/literaturapessoal

Comments

comments