Resenha HQ – Liga da Justiça, Ano um (Parte 1 e 2)

Parte 1

Sinopse:

Saga lançada entre Janeiro e Junho de 1998. Os cinco maiores heróis da Terra se unem contra um inimigo comum e assim nasce a Liga da Justiça da América.

O que eu achei:

Quando falam comigo sobre Liga da Justiça eu penso Batman, Superman e Mulher Maravilha, pode ser pela proximidade do filme, quem sabe, mas de uma forma ou de outra esses 3 heróis sempre aparecem relacionados a Liga, qual não foi minha surpresa ao descobrir que nesta história, a origem da Liga da Justiça da América se dá de outra forma: iniciada pela Canário Negro, numa tentativa se sair da sombra da sua mãe (a antiga Canário Negro rs) e formar um grupo que seja tão impressionante e heroico quanto a antiga Sociedade da Justiça, primeiro super-grupo que surgiu nos quadrinhos.

Após enfrentarem uma ameaça juntos, Lanterna Verde, Acquaman, Flash, Caçador de Marte e a Canário Negro resolvem confiar uns nos outros e iniciarem a LJA.

A história é bem interessante, e o começo da revista ainda apresenta individualmente cada personagem e suas duplas identidades, o que às vezes, pode parecer cansativo para alguns que são muito fãs e já conhecem a origem dos heróis, mas um recurso interessante para quem, como eu, começou a se aventurar agora no universo DC Comics.

Como nas outras edições dessa coleção, a narrativa é cheia de referências a vários outros super-heróis da DC, e tem a participação de alguns outros grupos que, ou não estão felizes com a formação da LJA, ou aparecem como uma forma de auxílio. Os heróis estão aprendendo a lutar em equipe e parecem um pouco atrapalhados no começo, enquanto enfrentam um vilão que deseja criar um ser híbrido, combinando o poder de várias criaturas.

Batman e Superman aparecem rapidamente, mas de uma forma engraçada: meio que contra a LJA. Achei essa abordagem bem bacana. Batman como sempre, desconfiado de que esses novos heróis possam causar mais problemas do que soluções.

Gostei muito da Canário Negro e como a personagem se posiciona em relação aos outros heróis, única mulher do grupo ela precisa lidar constantemente com pequenos assédios ou ações de cavalheirismo excessivos, como se ela (uma heroína) precisasse ser salva a todo momento. O grupo pega muito no pé do Acquaman, o que me deixou com dó do herói que parece não se encaixar na superfície, mas o espírito de união do grupo acaba fazendo as coisas funcionarem.

Nota: 4/5

Onde encontrar:

Skoob

Parte 2

Sinopse:

Continuação da história em que os maiores heróis da Terra terão de aprender a lidar com os desafios do trabalho em conjunto.

O que eu achei:

Dando continuidade a história, nesse volume os heróis precisam lidar com algumas adversidades e um conflito interno no grupo, consequência de não se conhecerem profundamente, e do desejo de manterem a vida pessoal separa de suas vidas de super-heróis.

Um integrante da Liga está espionando os amigos e monta dossiês completos a respeito de cada herói que existe. Achei esse roteiro meio repetido, lembro que na edição … dessa mesma coleção da Eaglemoss temos um caso parecido de conflito/risco dentro da Liga da Justiça, mas desta vez provocada pelo Batman, quando ele cria armas que podem neutralizar os heróis e essas armas acabam nas mãos erradas (para ler a resenha dessa HQ clique aqui).

Mas ok, é a história, e muitas outras narrativas acabam repetindo-se ao longo do tempo. Na parte 2, nossos heróis: Lanterna Verde, Flash, Aquaman, Canário Negro e Caçador de Marte, que atualmente formam a Liga da Justiça, precisam aprender logo a superar as suas diferenças em prol de um bem comum: salvar a terra de uma ameaça real, a Locus é a grande inimiga.

Pelo que o entendi, o plano “diabólico” era levar a terra de volta as suas características primordiais, para isso a Locus criou alguns corpos capazes de suportar essas novas condições terrestres e está prestes a “resetar” o planeta. Numa força tarefa, os heróis da LJA precisam, resgatar os outros heróis que foram sequestrados e impedir que a Locus tenha sucesso na sua empreitada.

O lado positivo dessa HQ é que podemos ver “em ação” diversos super-heróis do universo DC, trabalhando juntos. O que pode tornar a leitura um pouco confusa para os mais desavisados.

Porém acho meio estranho que, depois de muita porrada, a solução parece tão “simples”, mas o fato é que, se antes a LJA não tinha muita moral no mundo dos heróis, após essa conquista, eles, de fato, se consagram como a maior equipe de super-heróis da DC.

Nota: 4/5

Onde encontrar:
Skoob

Mais fotos das duas HQs

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Curta a página do Literatura Pessoal no Facebook
Siga nosso Instagram: @literaturapessoal

 

 

Comments

comments