Resenha – O Oceano no Fim do Caminho (Neil Gaiman)

O Oceano no fim do caminho Neil Gaiman

Sinopse:

Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.

Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

O Oceano no fim do caminho Neil Gaiman

O que eu achei:

De uns tempos para cá vi despertar em mim um interesse cada vez maior nas obras de Neil Gaiman, e ao saber desse comentado romance do escritor quis logo satisfazer minha curiosidade.

Em sua narrativa, Gaiman leva seu personagem, a quem não nomeia, por uma viagem nas memórias de sua infância. De volta a sua cidade natal, o homem resolve visitar a casa de uma velha amiga, confuso quanto as suas lembranças, ele senta diante do lago e tem a sua primeira memória revelada: Lettie, chamava aquele pequeno lago de oceano, e a partir daí uma nova narrativa se desenrola.

“Mas ali, de pé naquela saleta, tudo estava voltando. As lembranças estavam
à espreita nos arredores das coisas, acenando para mim. Se você
me dissesse que eu tinha novamente sete anos, por um
breve instante eu quase poderia acreditar.”

Traçamos junto com o personagem uma viagem de suspense, fantasia e mistério, de volta a uma infância estranha, repleta de medos e inseguranças. Quando uma tragédia envolve a família do pequeno de 7 anos, ele busca refúgio e ajuda na estranha família Hempstock, formada por 3 mulheres que aparentam ser vó, mãe e filha. E é com a pequena Lettie, que ele cria um forte vínculo de amizade e confiança.

“Não tenho saudade da infância, mas sinto falta da forma
como eu encontrava prazer em coisas pequenas,
mesmo quando coisas maiores desmoronavam.”

Li muitas opiniões divergentes a respeito desse livro, pessoas que se identificaram profundamente com a história e outras que não entenderam absolutamente nada do que o autor quis com esse livro. Eu de fato não me envolvi tão profundamente nas analogias criadas pelo narrador, mas também não me tornei tão indiferente aos efeitos da história.

O Oceano no fim do caminho Neil Gaiman

Acredito que gostar ou não do livro vai depender muito das suas expectativas ou de como você encara um livro de fantasia. Sai com a seguinte lição: O “oceano” é uma narrativa delicada das fantasias da infância, ou de como as crianças enxergam os adultos de formas extremas. Para uma criança, um adulto pode ser um grande herói, para no minuto seguinte se tornar um vilão.

“– Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro.
Nem você. Nem eu. As pessoas são muito mais complicadas que isso.
É assim com todo mundo.”

Indo ainda mais longe, é uma forma delicada de contar como uma criança reage a situações traumáticas (o suicídio) e divergentes dentro do próprio lar, mas principalmente a importância da amizade nessa fase, de ter alguém que acredite nas suas histórias e esteja ao seu lado aconteça o que acontecer.

Na verdade, a história toda trata-se de uma fábula e como fábula envolve acontecimentos reais e mágicos num mesmo universo, com o objetivo de ensinar algo aos leitores, por isso é muito importante que você não tente interpretar a narrativa de forma literal.

“Não importava, naquele momento, o fato de ela ser cada monstro,
cada bruxa, cada pesadelo personificado. Ela era adulta,
e, quando os adultos entram em guerra com as crianças,
eles sempre vencem.”

No começo o livro não estava fazendo muito sentido para mim, mas no decorrer da história eu acabei me envolvendo com o garotinho e torcendo para que ele conseguisse sair daquela situação. Existem muitas teorias na internet sobre o que essa experiência fantasiosa do menino quer dizer no “mundo” real e para mim a mensagem que ficou é que, estamos tão ocupados vivendo nossas vidas de adultos que quase nunca paramos para entender e ouvir as crianças.

O Oceano no fim do caminho Neil Gaiman

Eu achei “O oceano no fim do caminho” um livro bem bonito, e tenho certeza de que, caso venha a relê-lo, ele me ensinará outras coisas.

 

Nota: 4/5

Onde encontrar:
Skoob
Americanas
Saraiva

Curta a página do Literatura Pessoal no Facebook
Siga nosso Instagram: @literaturapessoal

Comments

comments