Resenha – Os Sofrimentos do Jovem Werther (Goethe)

Os Sofrimentos do Jovem Werther

Resumo:

A literatura alemã divide-se em antes e depois de Os Sofrimentos do Jovem Werther, que chega às livrarias brasileiras nesta nova e brilhante tradução de Marcelo Backes. Ao escrever Werther, em 1774, Johann Wolfgang Goethe alcançava sua primeira obra de sucesso e, de quebra, dava início à prosa moderna na Alemanha. Werther não é, simplesmente, um romance em cartas assim como Nova Heloísa de Rousseau ou Pamela de Richardson. Esta que é uma das mais célebres obras de Goethe é o romance de uma alma, uma história interior. Dilacerante, arrebatada é a história de uma paixão literalmente devastadora. Com enorme repercussão quando do seu lançamento, Werther foi um testemunho de como a literatura tinha poder de agir na sociedade. Não foram poucos os suicídios atribuídos ao romance. Johann Wolfang von Goethe nasceu em Frankfurt em 1749 e morreu em Weimar em 1832. Poeta, romancista, dramaturgo, crítico, estadista, tornou-se um dos maiores vultos do pensamento alemão, tendo influenciado várias gerações. Em 1775, a convite do Duque Carlos Augusto, foi administrador de Weimar, onde destacou-se brilhantemente como administrador, financista e estadista. Deixou vasta obra, onde se destacam, entre outras, Werther, Ifigênia, Elegias Romanas (poesia), Fausto, Teoria das Cores, Viagem à Itália, Poesia e Verdade.

O que eu achei:

Ganhei esse livro de uma amiga e soube que ele é um dos preferidos dela. Assim, sabendo o gosto dessa amiga, já sabia que o livro seria incrível.

O livro conta, através de cartas a história de Werther e de sua paixão pela jovem Charlotte, uma mulher já comprometida com outro, por isso impossível para ele.

Terminei esse livro com aperto no coração, pois as referências dizem que Goethe o escreveu baseado em seu próprio sofrimento e fui correndo ver como foi a vida do autor (risos). Felizmente descobri que ele viveu bem sim, se casou com outra mulher e morreu já velhinho x)

Sobre Wherther, achei ele bem mimado. Não quer trabalhar, vive do dinheiro da mãe e ainda consegue ser melancólico e solitário, o que claro, não contribui muito para ele se tocar e partir pra outra. Fica ali remoendo amor não correspondido e sofrendo. E se tem uma coisa que me dá nervoso nessa vida é gente que sofre por que quer.

Que negócio é esse de que é bonito sofrer por amor? O livro de Goethe é de 1774, mas isso ainda é muito atual, aparentemente, sem ter muita informação, algumas pessoas acham “legal” ter depressão ou ser hiper sensíveis. As vezes até mesmo se forçando a permanecer naquela situação, para talvez  ter um pouco da atenção que deseja.

Eu sei que as vezes é inevitável e a gente acaba sofrendo mesmo por amores não correspondidos, as vezes (muitas vezes) por alguém que nem merece nosso amor. Acho totalmente ok cultivar uma tristezinha, ruminar a dor, mas chega um momento que é preciso deixar pra lá. Afinal de contas QUEM NUNCA pensou: “é isso, nunca mais vou amar ninguém” ou ainda o temível “nunca mais ninguém vai querer nada comigo”. E quando viu, o mundo deu voltas queridinhos(as).

Pobre Wherter, talvez se ele tivesse cedido as oportunidades da vida acabaria se apaixonando de novo, como o Goethe, e vivido bons e felizes anos.

Apesar de ter gostado bastante do livro, entendi que, eu ia dizer em outras épocas, mas talvez ainda hoje ainda existam pessoas que se deixem influenciar pela carga negativa do livro. Literatura tem inúmeros poderes na nossa vida. Ela pode te animar, te deixar assustado ou te derrubar para valer.

Então, se você tá aí triste, sofrendo de amor, por favor, não leia esse livro! (rs) As vezes é melhor esperar passar, enxergar de novo que, apesar das pegadinhas, a vida pode ser muito boa. Agora se você é daqueles que acredita que tudo vai ficar bem e o amor da sua vida, cedo ou tarde, vai aparecer, aprenda com Wherther o que não fazer e principalmente, não entre em pânico, a vida sempre dá certo. 😉

 

Curiosidade: Houve um período em que a igreja proibiu a leitura do livro, pois na época em que ele foi lançado vários suicídios foram registrados entre os leitores de “Os sofrimentos do Jovem Werther”, muitos jovens usando as roupas descritas na história, ou deixando uma edição do livro ao seu lado. Isso chocou profundamente a Europa, com isso a igreja achou melhor proibir a leitura dizendo que ela pregava o suicídio como único meio de superar a dor. O termo Efeito Werther criado na psicanálise faz referência ao personagem e se refere a esse “gatilho” social, quando a exibição/divulgação de um ato (verdadeiro ou não), leva diversas outras pessoas a fazerem a mesma coisa.

 

Nota: 4/5

Skoob
Saraiva
Amazon

Comments

comments