Resenha – Quandos os Adams Saíram de Férias ( Mendal W. Johnson)

Quando os Adams Saíram de Férias

Sinopse:

Conta a história de Barbara, uma babá norte-americana de 19 anos que se encontra nas mãos de cinco crianças, duas das quais ela foi contratada para cuidar. Era um jogo, que se baseava em maltratá-la, a submetê-la a situações precárias, o jogo chamava-se “Libedade 5”.

À medida em que as crianças começavam a aceitar tal violência como um fato normal, a fantasia transforma-se em horror. A jovem passa a sofrer toda espécie de degradações como fome, tortura e violência sexual. Sua vida agora corre perigo.

O que eu achei:

As pessoas que sofrem vivem por um relógio diferente, pensou ela; ele nunca avança.

“Olha, um livro que conta a história de uma babá que é presa e torturada por crianças, meu deus que incrível eu preciso ler”, Dardengo, Larissa – A inocente.

Ainda na onda de descobrir ~livros de terror~ eu tenho atirado para todos os lados e, vez ou outra, fugido do óbvio e das indicações mais conhecidas. Eu nem sei mais como esse livro foi parar na minha lista de “PRECISO”, mas o fato é que ele estava lá e eu fiquei muito tempo ansiosa para lê-lo.

Quando os Adams Saíram de Férias
Não, pequeno querido leitor deste blog, Quando os Adams Saíram de Férias, não tem nada a ver com o amado desenho/filme das nossas infâncias, ele é, digamos, um pouco mais real. Enquanto na família Adams o horror é usado para nos divertir, no livro de Mendal W. Johnson ele tem um único objetivo: chocar.

E se Quando os Adams… nos ensina algo é que, se você está nesse momento sozinho(a) em uma casa com crianças e pretende tirar um cochilo, é melhor trancar bem a sua porta.

Barbara é uma jovem babá de 19 anos, universitária, ela passa o verão cuidando de Bobby e Cindy, filhos dos Adams, que estão aproveitando as férias em uma viagem. Pista para crianças problemáticas nº 1: quem faz uma viagem de verão e deixa os filhos para trás?

Na semana anterior a volta dos Adams, Barbara acorda amarrada e amordaçada em sua cama, ela tem uma vaga lembrança de lutar contra tudo aquilo, ao seu lado Bobby observa atentamente suas reações. Ela foi capturada. Sem entender exatamente o que está acontecendo, a babá começa uma linha de pensamento, a princípio compreensiva, mas que pro fim começa a dar raiva, de que as crianças estão apenas testando-a e que tudo logo vai acabar.

Quando os Adams Saíram de Férias

Com Barbara cativa começa então o Liberdade 5, uma brincadeira de Bobby, Cindy e seus amigos: John, Paul e Dianne . Pista para crianças problemáticas nº 2: quando as “crianças” são apresentadas, você descobre que elas não são exatamente crianças, John e Dianne tem em torno de 15 e 16 anos!! 

O Liberdade 5 consiste, principalmente, em manter a babá aprisionada, para que as 5 crianças (vamos manter assim, já que o autor fez tanta questão em ressaltar isso) possam fazer o que bem quiserem. E aparentemente o quiserem significa: passar o dia inteiro nadando no rio. Pista para crianças problemáticas nº 3: elas estão completamente entediadas.

Entediadas, elas passam a fazer o que quiserem com Barbara. E aí, meu amigo, haja estômago! O total desprezo pela condição da babá e a falta de motivação para os atos, talvez sejam os pontos mais cruéis de toda essa história. É simplesmente enojante que nenhuma dessas “crianças” compreendam de fato o que está acontecendo ali e compreenda as possíveis consequências, além do “seremos castigados”. Pista para crianças problemáticas nº 4: elas odeiam adultos, acham que a vida adulta é insuportável e que eles podem fazer o que quiserem sem consequências.

Quando os Adams Saíram de Férias

As crianças tem personalidades bem distintas e a única que revela real psicopatia é Paul, esse menino será, sem dúvidas, um assassino em série… rs John é ridículo, o típico rapaz que se acha incrível, mas é um imbecil completo, e eu tenho realmente muita pena de qualquer menina que se apaixonar por ele, Dianne se acha adulta e superior as outras crianças, cuida para que ninguém perceba a perturbação de Paul (seu irmão mais novo), oferecendo ao menino os meios de escape que ele tanto precisa. Cindy é mimada e vulnerável, não se pode saber de que lado ela estará na próxima discussão, talvez daquele que no momento ela sentir ser o mais interessante, e Bobby, que apesar de ser quem começa tudo, é o que mais demonstra compaixão, porém é um menino fraco que se sujeita as vontades e caprichos dos outros 4.

A partir de certo ponto da história, e com a gravidade que as coisas vão acontecendo, o leitor perde as esperanças e passa a acreditar no pior dos cenários para o fim da história, mas acredite, pode e consegue ficar pior.

Tão criativos quanto Amy, e tão frios quando Kevin, o Liberdade 5 torna a vida de Barbara um inferno na terra e não sente absolutamente nada por isso.

 

Nota: 3/5
Skoob
Estante Virtual

Curta a página do Literatura Pessoal no Facebook!

Comments

comments

1 Comment

  1. mavico04 says:

    Fiquei dividido entre a vontade de ler e o asco pelo que possa ler.

Comentários fechados.