Resenha – Quarto (Emma Donoghue)

O Quarto de Jack

Sinopse:

Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la.

O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.

O que eu achei:

Quando eu assisti ao filme “O quarto de Jack”, eu não sabia que ele estava ligado ao livro “Quarto” da Emma Donoghue, simplesmente não fiz a ligação entre as duas coisas, mesmo que o livro figurasse algum tempo na minha lista de espera nas leituras. Eu estava realmente empolgada par ver a história que vinha impressionando e emocionando todo mundo, e claro, comigo não foi diferente. Tornei-me uma grande entusiasta do filme dirigido por Lenny Abrahamson e o indiquei para o maior número de pessoas possíveis e o retorno delas sempre foi o mesmo: empolgante, emocionante, sincero, inocente e derramador de lágrimas. Aproveito este longo parágrafo para já indicá-lo a você também, se por uma acaso você ainda não viu O Quarto de Jack, faça-se esse favor, é garantido que não haverá arrependimentos.

O Quarto de Jack

Mas vamos falar do livro, que é por isso que estamos aqui! Depois de me apaixonar, chorar e rir com Jacob Tremblay interpretando o maravilhoso Jack, e de processar toda a força e amor de mãe de Brie Larson, vivendo Joy, num papel que lhe rendeu um Oscar de Melhor Atriz, ser atraída para o livro foi fácil.

A história contada por Donoghue é tão impactante, que você está sempre andando em uma linha tênue entre o “isso é loucura” e o “isso é dolorosamente real”. Joy foi sequestrada quando tinha 19 anos e trancada nesse pequeno quarto, no quintal da casa de um homem, o Velho Nick, de lá até então, já se passaram 7 anos. Nesse período ela foi, e continua sendo, abusada pelo seu sequestrador e acabou dando a luz a Jack, um garoto esperto que acaba de completar 5 anos!

Toda a brutalidade da situação vivida por Jack e sua mãe é contada de forma suave, já que o narrador dos eventos é o próprio Jack, que considera o quarto tudo o que existe no “espaço sideral”, citando o próprio, mas ainda assim, permite ao leitor sentir as dores e superações de uma mãe que transformou o cativeiro num mundo cheio de imaginação e amor para seu filho.

O Quarto de Jack

Como Joy teve forças para viver isso, não consigo dizer, o mundo que ela foi capaz de criar para Jack num espaço tão pequeno e com acesso a tão poucas coisas é admirável e nos leva a refletir sobre como podemos incentivar as crianças a serem felizes com menos, a serem mais criativas nas brincadeiras e perceber que, com dedicação, as vezes pouco investimento pode resolver os problemas.

É claro que os problemas de Joy estão longe de serem resolvidos e é por isso que ela coloca em ação um arriscado plano de fuga, que vai contar principalmente, com a coragem de Jack. E é claro que, apesar de ser esperto e muito inteligente, Jack ainda é só uma criança de 5 anos que nunca esteve fora do quarto e acha que tudo o que vê pela TV não é real, então para ele, o cativeiro sufocante de Joy é na verdade um ambiente seguro, do qual ele não está muito disposto a abrir mão.

E se você acha que sair do quarto é a solução para todos os problemas, bom prepare-se para se surpreender e enxergar o mundo com outros olhos, o olhos de um curioso e assustado garoto de 5 anos que nunca viu nada daquilo. O mundo pode ser um lugar apavorante para um garotinho que só quer ficar com a sua mãe, o mundo pode ser difícil de lidar, depois de ter boa parte da sua vida sequestrada por um estranho.

O Quarto de Jack

Emocionante e impactante, sem dúvidas uma história que fará você conversar com outras pessoas a seu respeito. Eu não sei nem descrever o que realmente sinto e senti com essa história, acho que dizer que meus olhos se enchem de lágrimas toda vez que assisto ao trailer já é o suficiente, né?

Em um comparativo Livro X Filme, eu provavelmente escolha o filme como meu preferido, mas isso pelas incríveis atuações de Brie e Jacob nos papéis principais, apesar das adaptações necessárias na história para o cinema, acho que Lenny Abrahamson foi bastante fiel as emoções que Emma Donoghue tentou imprimir em seu livro e considero isso a coisa mais importante quando se leva uma história das páginas para as telas. No filme, também é o Jack que nos conduz pela história, narrando em off alguns dos momentos e isso sem dúvida contribuiu para que o filme mantivesse a áurea de suavidade ao retratar uma situação tão brutal.

Ambos, livro e filme, acabam se completando. Leia o livro se você é do tipo que adora ler, veja o filme se você é do tipo que adora uma boa história. Faça ambos, caso completando uma das opções anteriores você, assim como eu, se apaixone pelo Jack. Um pouquinho mais desse mundo inacreditavelmente violento, pelos olhos inocentes de Jack nunca é demais.

 

Nota: 4/5

Onde encontrar:
Skoob
Fnac
Shoptime

Curta a página do Literatura Pessoal no Facebook
Siga nosso Instagram: @literaturapessoal

 

Trailer do filme:

Comments

comments

1 Comment

  1. kleber says:

    Li o livro ano passado e, como disse um critico americano, depois de conhecer o Jack, você continua com ele um bom tempo depois da leitura. Belo filme também.

Comentários fechados.