Séries #8 – Desculpe, mas precisamos falar sobre Black Mirror

Black Mirror

Depois de ver muitos relatos na internet sobre como essa série era incrível eu resolvi me arriscar e de lá pra cá foram muitos mind fucks e conversas animadas com amigos que, felizmente, me acompanharam nesse desgraçamento de ideias (termo já cunhado para se referir a série).

Black Mirror é uma série britânica criada por Charlie Brooker e é bem curtinha, 2 temporadas com 3 episódios cada uma, mais um episódio especial de Natal.

Explico logo que cada episódio de Black Mirror  é independente, ou seja, você pode assistir na ordem que quiser, pois um episódio não precisa do outro para ser entendido. Maravilhoso!

Mas vamos às palavras do próprio criador: “cada episódio tem um elenco diferente, um set diferente e até uma realidade diferente, mas todos eles são sobre a forma como vivemos agora – e a forma como nós poderemos viver em 10 minutos se formos desastrados”(…)”se a tecnologia é uma droga – e parece mesmo ser uma – então quais são precisamente os efeitos colaterais? Este espaço – entre apreciação e desconforto – é onde Black Mirror, minha nova série de TV está localizada. O ‘espelho negro’ do título é um que você encontrará em todas as paredes, em todas as mesas, na palma de toda mão: a fria e brilhante tela de uma TV, um monitor, um smartphone.”

Não é uma série violenta, não é terror, é uma série que vai te fazer pensar pra caralh* e em alguns momentos te deixar bem mal.

Ok, vamos por partes, ou melhor episódios! Abaixo um breve, espero, (ficou IMENSO, mas tá muito legal) comentário sobre cada episódio, SEM SPOILERS, para que você escolha por qual quer começar.

S01E01 – Hino Nacional (The National Anthem)Black Mirror the national anthem

Apesar de ter episódios independentes, eu assisti Black Mirror pela ordem então esse foi realmente meu primeiro episódio e que me deixou MAL por dias.

A história se passa na Inglaterra, nos tempos atuais. A Princesa Susannah, adorada pelo povo, foi sequestrada, ninguém sabe por quem ou porquê, a única informação que se tem devesse a um vídeo publicado no Youtube, e que rapidamente se tornou um viral global, onde a princesa aparece amarrada e é forçada a ler um texto com as exigências do sequestrador, que na verdade é apenas uma: o primeiro-ministro inglês, Michael Callow precisa aparecer em rede nacional transando com um porco até às 16h daquele dia, ou a princesa morre.

Pois é.

Mas Lari, pq eu veria uma coisa dessas? Eu sinceramente não sei, mas esse episódio foi uma porrada tão grande na minha cara que eu fiquei dias, literalmente dias, desnorteada.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: Com qual velocidade coisas absurdas se tornam virais atualmente? O quanto a gente se diverte, ri e compartilha coisas que para alguém são humilhantes? Como o vídeo ou as fotos íntimas de uma pessoa que foram vazadas podem moldar sua história? Será que a gente realmente tem consciência do que vê, guarda e compartilha na internet? Como uma história ou um boato podem moldar para sempre relacionamentos pessoais? São muitas perguntas e isso é só no primeiro episódio!

Seria muito menos bizarro, se não houvesse tantas, mas TANTAS chances de ser real.

S01E02 – Quinze Milhões de Méritos (Fifteen Million Merits)Black Mirror Fifteen Million Merits

Esse episódio é bem mais distópico que o primeiro, pra mim ele retrata uma sociedade que teve de se reorganizar, e como aprendemos com as distopias adolescentes, é claro que isso nunca acontece de forma justa. Alguém vai ter que pagar o pato.

A sinopse do Netflix é muito simples: após fracassar em um concurso como cantora, uma mulher tem que escolher entre praticar atos humilhantes ou voltar a viver praticamente como uma escrava. Pra mim esse episódio foi o mais deprê de toda a série.

Bing e Abi, nossos protagonistas vivem uma vida praticamente escrava, com a perda total da individualidade de cada um, eles são obrigados a pedalar todos os dias para gerar energia, seu trabalho, apesar de eu ter colocado como “escravo”, lhes rende pontos no programa, que eles podem usar para pagar por programações especiais, comida, itens de limpeza, etc. O indivíduo que conseguir juntar 15 milhões de créditos pode comprar um ticket dourado, que lhe dá a oportunidade de participar de um show de talentos, uma crítica bacana aos reality shows famosos.

É claro que alguns batalham muito para conseguir os créditos e enxergam no reality uma chance de mudar de vida, mas também temos vários personagens mais conformados com a situação em que vivem.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio:  Será que estamos todos conformados? Seguimos uma rotina diária de trabalhar/comprar/consumir sem perceber como ficamos aprisionados no sistema. Alienação, consumo excessivo, conformismo, falta de empatia, como a gente lida isso com isso na nossa vida? Será que conquistar o “ticket dourado” ou aquela oportunidade pela qual passamos a vida inteira sonhando acordado realmente vai nos levar a felicidade plena? É amigos, porrada na cara, atrás de porrada.

S01E03 – Toda sua história (The Entire History of You) TOP 4Black Mirror The Entire History of You

Já imaginou que coisa MAIS MARAVILHOSA você ter um chip implantado no seu cérebro que guarda TODAS as suas memórias e que você pode acessar na hora que quiser através de um simples controle e INCLUSIVE compartilhar, através de uma projeção, com amigos e familiares?

Eu aposto que muita gente se empolga com essa ideia e se ela existisse, muita gente gastaria uma grana para ter. Se você é um desses, esse episódio é pra você. Em The Entire History Of You, vemos um futuro onde todos os seres humanos têm acesso a um implante de memória que dá acesso a tudo o que as pessoas fazem, veem e ouvem.

E vou te dizer uma coisa: não tinha como dar mais errado. Tem uma cena nesse episódio que me deixou tão mal, que eu me senti murchando na hora, sabe? rs

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: Estamos realmente prontos para lidar com todo o avanço tecnológico que está por vir? A tecnologia sempre vem em favor do homem? Somos mais felizes e seguros cercados por tecnologia? Mesmo sem implantes, será que a gente não se tornou meio “stalker” demais da vida alheia, ou dos nosso(a) companheiro(a) nas redes sociais e gadgets? Hã?

Ao fim do episódio eu ainda estava dividida sobre a maravilhosidade da tecnologia e o medo dela. Se viva nessa época, eu provavelmente seria a tiazona apavorada.

S02E01 – Volto Já (Be Right Back) TOP 3Black Mirror be right back

Be Right Back nos apresenta ao apaixonado e jovem casal Martha e Ash.

Ash, um entusiasta das redes sociais, sofre um acidente fatal e Martha encontra em um software, que permite que ela se comunique com o marido morto, uma espécie de consolo.

É isso mesmo, não é espiritismo, é tecnologia! rs Ao se cadastrar em um sistema Martha faz um download de todos perfis sociais de Ash e em questão de minutos recebe uma ligação no celular, de um programa que emula a voz, as frases e a personalidade do seu falecido marido.

Assustador? Bom, quem pode questionar uma pessoa de luto? Esse episódio é bem triste na verdade, eu fiquei o tempo todo dizendo: isso é loucura! isso é loucura! Mas não sou capaz de dizer que iria resistir a algo do tipo.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: O quanto da nossa vida colocamos nas redes sociais? Será que uma pessoa/programa pode realmente conhecer 100% de quem somos pelo que publicamos na internet? Como as pessoas lidam com o luto? Você poderia dizer, com toda certeza, que, não importa quem for a pessoa que você perca, você nunca tentaria o que Martha tentou? Mesmo sabendo que algo não é real, ele pode te oferecer conforto?

Esse episódio é maravilhoso e triste em muitos níveis.

S02E02 – Urso Branco (White Bear) TOP 1Black Mirror white bear

Também conhecido como: MEU EPISÓDIO PREFERIDO DA VIDA.

Aqui não sobrou pedra sobre pedra meus amigos. Começa com você e a protagonista completamente perdidos e desnorteados e termina com você no chão. Olha foi tanto desgraçamento de cabeça nesse episódio que fiquei uns dias sem saber como voltar a rotina.

Eu realmente AMO dar spoiler, mas você merece ver esse episódio em toda sua grandeza, e isso significa sem saber de nada. Juro, por favor, não pesquise nada sobre ele, só senta aí, abre o Netflix, respira fundo e vai.

Durante todo o episódio é aquela sensação gostosa de Black Mirror:  que absurdo! Mas o final, nada pode te preparar para ele, é de puxar os cabelos e esfregar as mãos na cara pra colocar as ideias no lugar.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: Nossa, mas eu não vou nem começar que é pra não te deixar mal. É uma crítica tão forte a sociedade do olho por olho, dente por dente, que eu tenho medo de como as pessoas podem reagir diante desse episódio. Assiste e depois a gente vai questionar tudo juntinho. Tenho muitas perguntas e eu sei que você terá também. ASSISTE!

S02E03 – Momento Waldo (The Waldo Moment)Black Mirror the waldo moment

Pra mim, o episódio mais fraco da série inteira. (Graçasadeus não deixei meu marido iniciar Black Mirror exatamente quando ia assistir esse episódio ou ele jamais iria dar uma chance para a série dizendo: meudeusquecoisahorrívelcomovocêpodegostardisso?!!? E então passaria MESES usando o argumento: e você que gosta de Black Mirror? Em qualquer uma das nossas conversas) (testando se ele lê meu blog!)

Jamie é um comediante fracassado que dubla um personagem animado em um programa de humor. Ela acaba se envolvendo em uma trama política quando seu personagem se candidata a um cargo público.

Acho que minha antipatia foi pelo próprio Waldo, o urso animado que é controlado por Jamie, eu particularmente não acho que as piadas dele sejam engraçadas, nem que o assédio que ele promove com o político merece meu like, mas é sobre isso a crítica desse episódio. E aí, apesar de não ser nem de perto meu preferido, devo reconhecer a sagacidade desse roteiro.

Waldo é escrachado, usa palavrões, gestos obscenos e se vale de toda liberdade “poética” que somente um desenho animado poderia ter, ele é ofensivo e as pessoas adoram. Jamie por outro lado, não quer fazer parte daquilo, mas se vê forçado a participar pelos donos da emissora na qual trabalha.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: Até que ponto estamos dispostos a ir para ter sucesso no trabalho? Você deixaria de lado suas crenças e valores para ser um sucesso? Como você lida com a frustração? Que tipo de entretenimento ganha nossa audiência? Voto de protesto pode eleger pessoas esquisitas (já aconteceu aqui no Brasil mesmo). Votamos em que a gente acha que realmente pode mudar as coisas ou quem fala o que a gente quer ouvir?

S02E04 – Natal (White Christmas) TOP 2Black Mirror White Christmas

Chegamos ao fim.

White Christmas é quase que um apanhado das histórias já contadas nos outros episódios, aqui temos um grande avanço das tecnologias.

Dois homens em uma área isolada contam suas histórias de Natal e como a tecnologia os levou aonde eles estão. Aqui temos algo parecido com os implantes do episódio The Entire History of You (S01E03), só quem bem mais avançado, onde um usuário pode ter acesso a visão ao vivo do outro e consegue se comunicar meio que por pensamentos, não é isso, mas é quase isso, uma pessoa fala pelo computador onde ela tem acesso a tudo o que você está vendo e você ouve ela dentro da sua cabeça.

Matthew, um dos protagonistas é esse facilitador de comunicação, que auxilia homens tímidos a se aproximarem da mulher que gostam. Em sua narrativa, Matthew está nessa casa isolada com Joe e tenta fazer com que seu companheiro conte alguma coisa sobre sua vida, compartilhe uma história. E aí que a mágica de Black Mirror acontece. Não posso comentar mais nada, você precisa ver.

Esse episódio me deixou passada também. Eu pude supor uma informação muito importante no decorrer da história, mas eu jamais poderia imaginar como ela terminaria. Assim como Fifteen Million Merits (S01E02) achei ele bem cruel. A história toda de Matthew é muito interessante e me deixou meio perplexa.

Alguns dos meus questionamentos e reflexões nesse episódio: olha, eu já estava tão exausta de ter todas as minhas ideias embaralhadas, mastigadas e cuspidas, que sinceramente, terminei esse episódio esgotada emocionalmente. Acho que é melhor a gente regredir no tempo, sabe? Toda essa tecnologia não irá nos levar a lugar algum que seja bom..rs

White Christmas adicionou um novo significado a ação de bloquear alguém nas redes sociais. Assista e me diga: será mesmo que seríamos pessoas melhores em posse de tanta tecnologia? Eu duvido muito.

 

giphy.gif
Eu ao fim de cada episódio

É isso! Desculpem a imensa “resenha”, mas essa série mexeu mesmo comigo e eu precisava compartilhar tudo com vocês, mesmo que agora todos os meus questionamentos tenham me deixado com ainda mais dúvidas do que respostas. Acho que vou ter que assistir tudo de novo! hahaha (daquelas).

A boa notícia é que a Netflix já confirmou que está produzindo novos episódios de Black Mirror e minha última informação confiável é de que eles seriam liberados agora em Outubro! Será? Alguém tá sabendo de alguma coisa? Me atualizem!

Assistam Black Mirror e me contem (por favor!) TODOS os seus questionamentos, eu prometo continuar mostrando todos para o meu marido e dizendo: olha só mais uma pessoa assistiu Black Mirror e amou e você até hoje nada…rs

😉

 

Comments

comments

2 Comment

  1. Alvaro rossi says:

    Muito bom texto. Serie top. Obrigado

  2. […] Se você ainda não assistiu NADA de Black Mirror, MEU AMOR, vamos combinar de assistir isso aí bem rapidinho, tá? Para ver o que eu achei das 2 primeiras temporadas SEM SPOILERS, é só clicar aqui: Desculpe, mas precisamos falar sobre Black Mirror. […]

Comentários fechados.